Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 31 de outubro de 2009

A poesia da Bíblia.


Das várias edições da Bíblia que tenho por cá, prefiro aquelas que começam com esta (poética) tradução:

"No princípio Deus criou os Céus e a terra. A Terra era informe e vazia. As Trevas cobriam o abismo, e o Espírito de Deus movia-se sobre a superfície das águas."
(sublinhado nosso).
(Difusora Bíblica - Franciscanos Capuchinhos)


De facto, nem todas as edições são literalmente iguais ou empregam os mesmos termos - apenas o sentido é perene. Contudo, uma escrita poética é mais consentânea com o nosso gosto...

Etiquetas:

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Do complexo de Esquerda na área da Saúde.


Ultimamente tenho tido necessidade de ir ao Hospital CUF Descobertas e este é, de facto, uma unidade onde não se respira um ar malsão, como é "apanágio" de todos os hospitais públicos.

Naquele existe limpeza (quase diria que se pode beijar o chão), sossego, apesar da grande afluência de utentes, rapidez e coordenação entre os serviços e especialidades, marcação de actos médicos com suporte de informação coordenada e em rede, enfim, sem dramas burocráticos.

Quando compreenderão os "nossos" políticos que têm de acatar os desejos e necessidades dos cidadãos, os quais, não sendo mentecaptos, não precisam de paizinhos no Poder para lhes dizerem o que é melhor para eles, tipo "Coreia do Norte"...

Pagamos, muitos de nós, inutilmente, um serviço péssimo (O Serviço Nacional de Saúde), e temos, em alternativa, de nos socorrer dos nossos seguros de saúde. Duplamente "taxados"!

Com a actual Ministra da Saúde, Ana Jorge, que transitou do anterior Governo (mais do mesmo...), nada temos a esperar - o seu complexo de esquerda não a deixa ver esta simples realidade: os cidadãos têm direito a escolher a sua rede de cuidados de saúde. Para quê "alimentar" com o dinheiro dos nossos impostos um serviço completamente degradado e desumano?

Etiquetas:

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Recolhimento IV


"Deus não te abandonou, estás salvo"

in "Que cavalos São Aqueles Que fazem Sombra No Mar?"
António Lobo Antunes




O Tempo, esse grande escultor (como diria a Marguerite Yourcenar), encarrega-se de nos dar algum discernimento. Por vezes apazigua a nossa torturada alma, ou através dele tentamos reconciliar-nos com a vida, tarefa nada fácil. Tarefa de todo um longo e sinuoso percurso, creio. Mas, curioso, já repararam que os homens, quando envelhecem (regra geral embora sujeita a excepções, claro), tornam-se mais belos e ternos? Mais humanos, perdendo aquele ar irritante de convencidos...

Etiquetas:

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Recolhimento III


“Acabei as orações às nove horas, de joelhos no tapete ao lado da cama, e por causa da chuva mal se percebia a sombra do salgueiro, percebiam-se gotas que acrescentavam vidro ao vidro deformando as roseiras à medida que desciam, os galhos primeiro finos, depois grossos, depois finos de novo e o cheiro da terra nos intervalos dos caixilhos (…).

in "Que cavalos São Aqueles Que fazem Sombra No Mar?"

António Lobo Antunes

Etiquetas:

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Frei Bento Domingues e Saramago.

Frei Bento Domingues, no “Público” de ontem, Domingo:


“O êxito das palavras de Saramago não podia ter sido maior e mais rápido. Pôs o País a falar da Bíblia.”

Etiquetas:

domingo, 25 de outubro de 2009

José Tolentino de Mendonça e a Bíblia.

Frases fundamentais do padre e teólogo (e de um dos meus poetas preferidos!) José Tolentino de Mendonça, em diálogo com José Saramago ( in "Jornal Expresso" deste fim de semana):



“O terrível da História, a experiência do mal está em todas as vidas. Não há nenhum/a isenta. Não há vidas e instituições que não tenham sombra. A Bíblia é um teatro de Deus, uma reflexão sobre Deus.”

“Se quisermos fazer justiça à História, temos que perceber que o cristianismo está do lado dos heterodoxos, dos insubmissos, dos mártires, das vítimas.”

“A Bíblia é um grande património da humanidade, um lugar onde todos nos encontramos. A Bíblia é um coral de vozes humanas.”

Etiquetas:

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Obrigado, Saramago!


Subitamente, decidi voltar a ler a Bíblia de modo sistemático: vou abri-la no Génesis... o caminho é longo mas luminoso. Obrigado, Saramago!

Etiquetas:

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Saramago afinal acredita em Deus!


José Saramago veio hoje deitar mais achas para a fogueira, afirmando que “Deus é vingativo, rancoroso, má pessoa”.


Ora, afinal Saramago acaba de admitir que Deus existe! O homem tem coisas!

Etiquetas:

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Caim: um doloso desencontro com o Evangelho de Jesus Cristo.


“Lúcifer sabia bem o que fazia quando se rebelou contra deus, há quem diga que o fez por inveja e não é certo, o que ele conhecia er a maligna natureza do sujeito”.


José Saramago, in “Caim”.

Lembro-me do seu “Evangelho segundo Jesus Cristo" que li e que até me divertiu de certo modo, devido à sua grande capacidade de efabulação. Contudo, trata-se, de facto, de uma “falsificação” do Evangelho. Mas enfim, é uma obra literária. Todavia, tinha passagens que provocavam um grande silêncio. Como esta: “mas porque pressentiam que o tempo das sombras estava chegando na sua hora, e era preciso que começassem a acostumar-se, ainda juntos, à escuridão da ausência definitiva”.

O mesmo não se passa com este “Caim”. Do pouco que já pude ler, na Bertrand [ao meu lado estava uma velhinha agarrada ao livro, muito sossegadinha a lê-lo – talvez não tivesse posses para o comprar… de facto, € 16 euros por um livro pequenino (no número de páginas, não no ódio que ele contém) é excessivo…], detectei na narrativa nacos de prosa como aquela supra citada. Puro ódio! Uma obra apologética de puro ódio ao Catolicismo. Os actuais descendentes de Afonso Costa agradecem o obséquio.


Saramago julga-se dono da verdade e dono das nossas consciências. Está de acordo com a "religião" que professa: atente-se no que se passa na Coreia do Norte: se este rapaz pudesse, mandava-nos "reeducar" num campo de concentração...


Com efeito, José Saramago entende que “Não podemos permitir que a verdade seja ofendida todos os dias pelos presumíveis representantes de Deus na terra, a quem na realidade só interessa o poder” .


Mas, que verdade? A dele, Saramago? O que é a Verdade? Estamos assim hoje perante a mesma pergunta que Pilatos fez a Jesus. Só que, tal como Teresa de Jesus, a nós Deus nos basta. E a Palavra do Seu Filho: “Eu sou a Verdade” – vide São João, 14, 6. E por aqui me fico: não é um tonto que nos retira a paz de espírito...

Etiquetas:

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

E se, de repente, não houvesse Deus?

E se, de repente, não houvesse Deus?" - interroga-se uma nossa leitora e vizinha destas andanças "blogosféricas."


Diz ela: "e se, de repente, não houvesse Deus?
E se andássemos ao engano?
E se isto não passar de uma ilusão?
E se a fé for um mecanismo (in) coerente do nosso processamento neurológico? "

São muitos “is” com efeito…

Contudo, relendo a vida dos Santos, constatamos que eles tiveram revelações extraordinárias, prodígios apenas explicáveis pela intervenção de um Ser que nos é superior, o qual, respeitando a nossa liberdade intervém, contudo, na nossa vida (e em tantos momentos!).

Creio que nos falta a todos nós (começando por mim) a leitura assídua e diária da Bíblia, esse Livro através do qual Deus nos fala (e que mesmo agora foi tão ultrajado por Saramago!), a fim de podermos repousar as nossas mentes tão atribuladas ansiosas e inquietas!

Com efeito, se percorremos a Bíblia é porque acreditamos em Alguém, confiamos nesse Alguém. Ora, essa confiança supõe um encontro e um reconhecimento da nossa parte. Esse Alguém tem algo a dizer-nos. Deus bate à porta do nosso coração: temos de abrir a porta, malgrado as trevas que nos toldam a inteligência e o discernimento, trevas essas que nos impedem de penetrar no Mistério.

Que caminho percorrer para encontrar Deus e sentir a Sua presença? Cada um de nós terá de dar resposta a esta questão, e encontrar essa "vereda". Mas que andamos inquietos é um facto. Mas também é sinal que não estamos alheados e a "dormir". Vemos, isso sim, o Tempo da nossa vida a passar velozmente, e sentimos que ainda não fizemos a nossa total conversão, à semelhança de um Santo Agostinho.

Mas creio que todos aqueles que nos precederam e hoje são considerados Santos não poderiam estar enganados. Creio firmemente na mensagem de São João: "Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e as escreveu. E sabemos que o seu testemunho é verdadeiro." Como alguém que hoje escreva uma carta, alertando os vindouros: atenção, eu presenciei estas coisas...
Reclinemos pois a nossa Alma na Palavra de Jesus: “Eu mesmo cuidarei das minhas ovelhas e me interessarei por elas (…) como o pastor se preocupa com o seu rebanho”.




Nota: Sei que não te respondi, M., nestas breves palavras. Nem a mim próprio. Mas também vou meditar mais profundamente no Mistério.

Etiquetas:

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Teresa de Jesus.


Hoje a Igreja celebra a memória de Santa Teresa d' Ávila. Recordemos esta sua oração que, afinal, é um farol para a nossa vida:

"Nada te perturbe Nada te espante Tudo passa, Só Deus não muda. A paciência Tudo alcança Quem tem a Deus, Nada lhe falta. Só Deus basta. "

Etiquetas:

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Maria, nossa Mãe.


Neste 12 de Outubro aqui deixo as palavras sábias e de rara beleza de João Paulo II ( que tanta falta nos faz) sobre a nossa Mãe de Jesus:


"Em Maria, o reflexo da beleza de Deus mostra-se mais perto de nós, mais directo. A sua beleza é tipicamente espiritual: a beleza da Imaculada Conceição, prerrogativa única e exclusiva da Virgem de Nazaré...

A contemplação da Imaculada, ícone da santidade da Igreja, chama-nos à graça do Baptismo e desafia-nos a uma renovação contínua da vida"

(João Paulo II, discurso de 08 de Dezembro de 1996).

Etiquetas:

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Nossa Senhora do Rosário.

O dia de hoje pertenceu ( mas não pertencem todos?) à Nossa Senhora do Rosário.

A Virgem, segurando o Menino Jesus no colo, apareceu a São Domingos e ofereceu-lhe o Santo Rosário, através do qual contemplamos todas as fases do Evangelho: os Mistérios Gozosos falam-nos da anunciação do Anjo a Nossa Senhora, da visitação de Maria a Santa Isabel, o nascimento de Jesus, a sua apresentação no Templo e Jesus entre os doutores da lei.


Nos Mistérios Dolorosos contemplamos a agonia de Jesus no horto, a Sua flagelação, a coroação de espinhos, o calvário, a crucifixão e Sua morte.


Nos Mistérios Gloriosos, meditamos na Ressurreição de Jesus, na Sua Ascensão aos Céus, a vinda do Espírito Santo sobre a Virgem Maria e os Apóstolos, a Sua Assunção e Gloriosa Coroação.


E, hoje, por via de João Paulo II, foram acrescentados ao Rosário os Mistérios Luminosos, que se debruçam sobre a vida pública de Jesus, o Seu Baptismo, o Seu primeiro milagre nas Bodas de Caná, a proclamação do Reino dos Céus, a Sua Transfiguração e a instituição da Eucaristia.


Mistérios tão belos! Que pena esta minha indisciplina que me impede de rezar o Rosário todos os dias. Mas tenho de conseguir este desiderato. Agora. E não quando tiver tempo... aí pode ser demasiado tarde...

Etiquetas:

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

As Senhoras de Montalvo.



Nada estava programado para tal – uma viagem a uma quinta de um colega meu, sita no Douro, afinal não se realizou neste fim-de-semana alargado. Mas, os caminhos do Senhor são, de facto, insondáveis. Acabámos por fugir das comemorações da República aqui em Lisboa e fomos até Constância, terra onde tínhamos apenas parado para almoçar no mês de Agosto, apressados que estávamos para chegar a Coimbra. E, numa rápida impressão, ficámos agradados com o verde omnipresente, o azul do Tejo que beija a vila, a beleza das ruas, a elegância das casas senhoriais. E decidimos, “last minute”, passar lá estes três dias.
Ora, de Constância a Montalvo são meia dúzia de quilómetros. E que há para ver nesta última vila? As Clarissas pois então, que ousámos importunar no seu doce viver (apesar das dificuldades financeiras que sofrem), postas em relativo sossego no seu belo Convento, onde rezam por todos nós, mesmo por aqueles que não sonham sequer com a sua existência… E digo relativo sossego pois as Irmãs bem que sofrem a inclemência destes tempos de laicização da sociedade, da descristianização das gentes, que estão como que adormecidas para o Mistério.
Foi um belo encontro que tivemos com a Madre Superiora e com a Irmã Maria! Bem ajam, queridas Irmãs! Temo-las no nosso coração.
Queira Deus que as possamos visitar mais amiúde, pois é um deleite para a Alma refugiarmo-nos à vossa sombra.


Em tempo: no dia 4 de Outubro, as Irmãs celebraram a Solenidade de São Francisco de Assis na sua nova Capela, e na qual tivemos a honra de participar.
Nota: a foto foi retirada do blogue das Irmãs Clarissas de Montalvo: http://irmasclarissasmontalvo.blogspot.com/.
Com a devida vénia.

Etiquetas:

A República está podre: restauremos a Monarquia!


Data nefanda, este 5 de Outubro: a República está podre, sem hipotese de recuperação. Restauremos a Monarquia!

Etiquetas:

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Memória de Santa Teresinha, a santa do amor.

No dia que ora findou, dia 1 de Outubro, mês do Rosário, a Igreja celebrou a memória de Santa Teresinha, essa santa tão amável, a santa do amor.


Oiçamo-la:


"Encontrei no outro dia umas palavras que me agradam muito, já não me lembro quem foi o santo que as disse; eram assim: "não sou perfeito mas quero sê-lo".


(Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face - in "Cartas" , pág. 347, Obras Completas, Edições Carmelo.)



O santo é... Santo Agostinho. Também aspiro a ser mais perfeito. Mas Deus sabe como é difícil...

Etiquetas: