Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Hoje choveu finalmente...


Que me lembre, este ano, aqui em Lisboa, é a primeira vez que chove. Do meu gabinete, neste fim de dia, vejo a rua molhada, as pessoas apressadas, tentando fugir das gotinhas de água que já deram outro colorido à paisagem citadina.

Com esta melancólica paisagem diante dos olhos, o primeiro pensamento que me ocorreu foi o meu pai e a imensa saudade que dele tenho, e a dor de saber que só hoje saberia lidar com ele, ter aquele “jogo de cintura” que nos falta quando jovens.

Quem me dera, nestes dias, podermos juntos beber um copo de um bom tinto, e sentirmos nas veias o calor do amor, esse amor que inexplicavelmente se perdeu, como uma maldição que alguém nos tenha lançado…




Etiquetas: