Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 24 de março de 2013

Jesus e a Sua entrada triunfal em Jerusalém








O Domingo de Ramos abre solenemente a Semana Santa, evocando a entrada de Jesus em Jerusalém.

Jesus, perante o sofrimento que se avizinhava, não recuou. O Seu Caminho de fidelidade ao Pai conduziu-O à Cruz.

Nós, pobres homens, ao atentarmos na grandeza do gesto de Jesus, apenas podemos fazer penitência por termos transformado este mundo, que seria o Paraíso inicial, num lugar de dor e sofrimento, para nós próprios e para o nosso semelhante.

De facto, ser Cristão não significa, de modo nenhum, que se tem uma garantia contra o sofrimento, a angústia, a queda. Pela nossa própria experiência, bem o sabemos.

Que eu o diga, que todos os dias penso com imensa dor, em meus pais e avós. Choro por eles, e certamente por mim…
 

 

 

Etiquetas: