Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 28 de junho de 2008

Sonhos...


Às vezes dá-me tanta vontade de partir deste Portugal que me abafa, e onde estão as minhas memórias mais dolorosas!...


Partir para longe, esquecer que há mundo… ficar numa terra perdida no tempo, um refúgio mágico… um lugar que fosse ao mesmo tempo mítico e místico, sei lá, Marraquexe, onde Yves Saint Laurent tinha a sua casa. Marraquexe que Miguel Sousa Tavares tão bem descreve no seu livro “O Sul”.

Sonhos, sonhos… sonhos de construir uma nova história…




Nota: na foto, Piscina do ryad Al Jazira , Marraquexe.

Etiquetas:

12 Comments:

Blogger LUA DE LOBOS said...

que tal irmos em excursão de uns milhões de portugueses que anseiam pelo mesmo?
mas primeiro cortar o pio à voz aflautada do Pinochio
xi
maria

sábado, junho 28, 2008  
Blogger prafrente said...

Dou graças a Deus por você ter a liberdade para exprimir tudo quanto lhe vai na alma e graças Lhe dou também por não ser obrigado a dizer amen ás suas manifestações de descontentamento.

Sonhos, sonhos...
Enquanto o homem sonha, o mundo pula e avança...

sábado, junho 28, 2008  
Blogger César Augusto said...

Se quiseres conhecer o teu companheiro da Távola Redonda escreve-me.

sábado, junho 28, 2008  
Blogger C.M. said...

Lua de lobos: concordo consigo!

Já lá estão fora milhões de portugueses. A emigração, afinal, continua por falta de condições aqui em Portugal!

Após o 25 de Abril quem diria?...

sábado, junho 28, 2008  
Blogger C.M. said...

Prafrente:

obrigado pelas suas leituras, aqui, nesta folha, a qual exprime sentimentos e vivências como quaisquer outras...

Quanto ao descontentamento, parece-me que hoje, em Portugal, praticamente ninguém se sente verdadeiramente feliz: é uma constatação diária.

Desde que com urbanidade, pode-se discordar do aqui escrito, pis claro: não é necessário maçar Deus para lhe dar graças por não ser obrigado a dizer amen às manifestações de descontentamento.

Po fim: gostei de ler o seu artigo sobre as suas vivências na Guiné...

sábado, junho 28, 2008  
Blogger C.M. said...

César Augusto: não entendi. Pode explicar melhor?

sábado, junho 28, 2008  
Blogger Cleopatra said...

Marraquexe....um sonho das arábias...

Sem Pinóquio!! eheheheh

Temos Távola redonda??
Hum. Então temos Merlim. Podemos pedir uma viajem surpresa a Marraquexe.

segunda-feira, junho 30, 2008  
Blogger C.M. said...

Só V., Cleo, me fazia rir a bom rir neste momento. Ele há cada um... Mas que história vem a ser essa do meu companheiro da Távola Redonda?... Dizemos coisas e depois não desenvolvem... ai Cleo, que é preciso paciência para aturar estes maduros que nos batem à porta...coisas da net...

segunda-feira, junho 30, 2008  
Blogger Cleopatra said...

DEixe lá CM, Távola Redonda é coisa de cavaleiro.
Cavlheiro- honra.
Honra dignidade.
Dignidade é tudo o que todos deviam ter.

Não se preocupe com essas bocas!!

terça-feira, julho 01, 2008  
Blogger C.M. said...

Boa resposta, Cleo...

terça-feira, julho 01, 2008  
Blogger César Augusto said...

Meu caro c.m.:
Quando há dias reparei por acaso no seu blog, senti-me atraído pelo seu caracter contra-revolucionário, que eu partilho completamente.
Quando disse "se quiseres conhecer o teu companheiro da Távola Redonda escreve-me" quis tão somente mostrar-lhe quanto eu comungava da sua tristeza mística, ao ver Portugal sofrer da doença de que padece.
Quis dizer também que, se me achasse digno disso, gostaria de partilhar consigo as minhas impressões acerca do que se poderia fazer para retirar Portugal desta agonia democrática. Para isso me comparei a um companheiro de Artur, o Rei.
Nunca pensei que o meu aparte, sincero e honesto, ainda que pouco explícito, pudesse vir a ser alvo da chacota de Cleópatra, que acerca dele chasquinou, ou do próprio c.m., que me chamou maduro.
Não são coisas da net, não, foi uma exclamação sentida de um Português dos quatro costados.
E com esta me vou, que ali também é Portugal!
Desculpem qualquer coisinha.

domingo, julho 06, 2008  
Blogger C.M. said...

Caro César Augusto, como pode verificar, eu próprio devolvi-lhe a questão: " César Augusto: não entendi. Pode explicar melhor?"

Não entendi de facto, a sua "blague", mas tive o cuidado de lhe perguntar o que queria dizer.

Depois, e pelo seu silêncio, depreendi que seria alguém a "brincar" como já tem sucedido.

Peço desculpa pelo mal entendido.

Entre sempre que quiser, ok?

segunda-feira, julho 07, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home