Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Mãe de todas as Graças...


Foi em 1830 que Nossa Senhora apareceu, em Paris, a Santa Catarina Labouré, jovem religiosa, e lhe ensinou a devoção da Medalha Milagrosa.

Com efeito, numa tarde de sábado, no dia 27 de Novembro do referido ano, na capela das Irmãs Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Santa Catarina Labouré teve uma visão de Nossa Senhora: Ela estava de pé sobre um globo, segurando com as duas mãos um outro globo menor, sobre o qual aparecia uma cruz de ouro. Das suas mãos partiam raios luminosos e, num gesto de súplica, Nossa Senhora oferecia o globo ao Senhor.
Nossa Senhora disse a Catarina que o globo representava o mundo inteiro e cada pessoa em particular.

Já tive a felicidade de pisar o chão da Capela das Aparições, na Rue du Bac, em Paris, e a sua beleza é, de facto, indescritível: o manto do Tempo desce sobre nós e separa-nos do frenesim deste mundo.

Resta-me pedir à Mãe de Deus a graça da fidelidade e do amor constante a Seu Filho.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home