Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 28 de outubro de 2007

"Ballet" muito rose...


Vieram-me à memória as palavras de Catalina Pestana, na reportagem dada ao jornal “Sol”:

“…Quando se fizer a história deste processo (Casa Pia) todos verão que, se houvesse legislação que permitisse investigar tudo o que foi dito a mim, à Polícia Judiciária e ao Ministério Público, o terramoto teria consequências devastadoras…”.


Pois é: afinal, este regime republicano, esta III República, também tem o seu balletezinho… que, curiosamente, é muito “rose”…

Aqueles que daqui a 30 ou 40 anos puderem ler a Verdade, certamente ficarão siderados…
Assim dirão: afinal, peroravam tanto acerca da “ética republicana” e vai-se a ver eram tão só vícios privados travestidos de públicas virtudes…
Nota: a imagem foi retirada do site da Casa Pia de Lisboa. Com a devida vénia.

6 Comments:

Blogger Cleopatra said...

HUmmm, talvez alguns já vejam. Não na astrologia. Não nas estrelas nem nas folhas do chá. Um ballet não rose mas blue.
E gosto de astrologia pois claro!
B DIA!

domingo, outubro 28, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Touché! Boa semana!

domingo, outubro 28, 2007  
Blogger redonda said...

Muito triste que tenha acontecido e possa estar ainda a suceder.

terça-feira, outubro 30, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

É o saberem-se impunes, Redonda...

quinta-feira, novembro 01, 2007  
Blogger Cleopatra said...

É o principio da celeridade processual, elevado a principio constitucional, que é arrastado pelas ruas da amargura...
São as vitimas de crimes ou supstamente vitimas não interessa, a ser ouvidas sucessivamente , vezes sem conta...santo DEus! Onde é que vamos parar???

sábado, novembro 03, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

ao abismo...

segunda-feira, novembro 05, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home