Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 6 de janeiro de 2007

Os Reis Magos



Os Reis Magos vieram do Oriente, guiados por uma estrela, para adorar o Deus Menino, em Belém (São Mateus 2, 1-12). A Ele ofereceram ouro, como símbolo de sua dignidade real; incenso, como confissão de sua divindade; e mirra como símbolo de que se havia feito homem para redimir o mundo.


É-me caro este tema dos Reis Magos, ou ele não estivesse impregnado de Poesia!

Com efeito, o Mistério dos três Reis Magos, que percorrem um mar de areia para irem ao encontro do Salvador do Mundo, é um tema que me apaixona há anos. Faz-me pensar que bom seria podermos, nos dias que passam, ir também ao Seu encontro, para sermos salvos deste caminhar por vezes tão solitário e sem sentido, para nos livrar da angústia de nos sabermos limitados e finitos, de sabermos que um dia deixaremos de poder contemplar o mar, de caminharmos descalços na areia húmida e, o que é mais doloroso, de não mais usufruirmos da companhia da pessoa que amamos até à loucura… Mas que sabemos nós de tudo isto?! Nada...

Quem sabe, talvez que tudo se possa resolver a nosso contento: O pequenino Menino Jesus esquecerá as nossas falhas, as nossas infidelidades, as nossas quedas, e nos permitirá viver no segredo do Tempo com aqueles que mais amamos. Pois não é Ele o doce Jesus da Misericórdia?

Mas, enquanto não penetramos no Mistério, que o Menino Jesus nos dê um suave e longo caminho para percorrer, na companhia daqueles que amamos…





“ Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes, chegaram a Jerusalém uns magos vindos do Oriente. E perguntaram: “Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo” (São Mateus, 2,2).



"Adoração dos Magos", 1828, óleo sobre tela; Domingos António de Sequeira (1768-1837).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home