Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

O Director-Geral dos Impostos encomenda-se a Deus.


O Director-Geral dos Impostos, Paulo Macedo, calcorreou hoje as ruas por onde tantas vezes passo (em busca das pegadas do “Il Santo” que ali nasceu e viveu parte da sua vida – junto à Igreja de Santo António, pois claro), pertinho da Sé de Lisboa (Igreja de Santa Maria Maior – bela, com o seu estilo românico, mandada erguer por D.Afonso Henriques, e na qual, no seu interior, se encontra a pia que baptizou Santo António).

E foi nesta Igreja que um Director-Geral de um Governo PS ( "ele" há Católicos no PS, pois então...) encomendou uma missa de acção de graças pela sua Direcção-Geral (DGCI) e pelos seus funcionários! Que o acompanharam!

Honra lhe seja feita, que este acto é raro, num Estado que alguns pretendem (demasiado) laico. Mas, o facto do Estado ser laico, não quer dizer que se abafem as manifestações de Fé dos cidadãos, quaisquer que sejam os cargos que ocupem…
Já sabemos que, dos sectores do costume, aqueles que fingem ficar "escandalizados" com a "ofensa" aos não crentes, vão "chover" protestos... não faz mal: a caravana passa....

Aliás, Nação Fidelíssima, Portugal será um País adiado enquanto nós cidadãos, não tomarmos o Destino nas nossas mãos e o banharmos nas águas mais sagradas e puras do nosso Misticismo.
Foto: Sé de Lisboa ( Autora: Isaurinda Brissos).
Nota final: candidamente, pergunto: Se o Estado é laico, então porque motivo ainda se celebram e mantêm os feriados católicos?! Responda quem puder mas... com coerência.

2 Comments:

Blogger Isabel Magalhães said...

Nem percebi o sururu criado com o facto...

Ou será que já não há liberdade religiosa neste nosso maltratado País?




As nossas saudações 'azuis'.

segunda-feira, janeiro 15, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Não, não há liberdade para os crentes, neste nosso Portugal de hoje...

segunda-feira, janeiro 15, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home