Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Valha-nos as nossas fraquezas...




Podemos gloriar-nos “das (nossas) fraquezas e no carregar às costas, cada dia, com a Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo”.



Frase consoladora! Um lenitivo para nós, que somos feitos de um barro frágil e que andamos muito cansados desta agitação em que se tornou a vida quotidiana. E em que bastas vezes só nos apetece ficar na cama, longe da loucura dos dias.



Que assim seja, carregarmos a nossa cruz, em homenagem ao Senhor. No fim, apenas esperamos que Ele nos diga:



Vem, e repousa a tua cabeça no meu peito.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Margarida Pereira said...

Sucede, querido Amigo, que Ele nos murmura isso a todo o instante; nós, na nossa inconstante errância, é que O não ouvimos.
Por isso este seu templo é um bálsamo tão retemperador.
Entrar aqui é sentir a frescura das catedrais e vermos a luz derramada dos vitrais, incessantemente.
Obrigada.

terça-feira, abril 21, 2009  
Blogger C.M. said...

Obrigado pelas suas doces palavras, Margarida.

quarta-feira, abril 22, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home