Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Ainda a cerimónia do lava-pés. Resistir.


Tenho-o dito e assim o sinto. Mas o Thiago, falando ainda da cerimónia do lava-pés e o seu significado, formulou a questão com palavras poéticas e dramáticas:


"A poeira e a lama dos caminhos tantas vezes tortuosos e não raro pevertidos que percorremos conspurcam os melhores dos nossos sonhos, dos nossos projectos, da nossa boa vontade de viver limpidamente o santo evangelho de Jesus Cristo”.


Muitos querem, de facto, que nós, os crentes, nos desviemos do Santo Evagelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que O neguemos. Que Lhe sejamos infiéis.



Temos de resistir. Resistir. Sempre. Vencermo-nos a nós próprios. Até ao último suspiro.


Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Margarida Pereira said...

"(...) Vencermo-nos a nós próprios. (...)"

o mais duro desafio...

terça-feira, abril 14, 2009  
Blogger C.M. said...

A quem o diz!

terça-feira, abril 14, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home