Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 12 de abril de 2009

Domingo da Ressureição.



No final das celebrações da Semana Santa, aqui deixo os diversos significados da Páscoa: significado histórico, alegórico, moral e anagógico.


Historicamente, a Páscoa acontece quando o Anjo exterminador passou pelo Egipto; alegoricamente, quando a Igreja, no Baptismo, passa da infidelidade para a fé (e será que a Igreja é sempre fiel a Cristo?); moralmente, quando a Alma, através da confissão e do arrependimento, passa do vício para a virtude; anagogicamente, quando passamos das dores desta vida para as alegrias eternas.


Resta-nos esperar e ter esperança.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home