Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 12 de janeiro de 2008

O Natal deixa-nos...





Amanhã, Domigo, termina (no calendário litúrgico...) o tempo do Natal.


Na Festa do Baptismo do Senhor recordamos João Baptista que administrava um baptismo de penitência, exortando à conversão.


Jesus ali também esteve, nas margens do rio Jordão, transformando o gesto de penitência de João Baptista em manifestação da Sua divindade.


Eis que, subitamente, ouviu-se uma voz que lá do alto dos céus proclamou:


"Tu és o Meu Filho muito amado, em Ti pus toda a Minha complacência" (Mc 1, 11).


E o Espírito desceu sobre Jesus em forma de pomba.


Que este mesmo Espírito me ilumine a Alma e me guie nas trevas deste mundo, para que eu possa semear, à minha passagem, apenas o Bem.


Para que um dia me possa apresentar na casa do Pai purificado de todos os erros cometidos…



Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home