Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Da Esperança e da solidão...





No fim deste dia, e com uma "boa" constipação “apanhada” em Fátima, estou aqui junto à lareira a ouvir o “Gloria RV 589 en ré Majeur” de Vivaldi. E não é que me deu uma forte depressão? “Isto” ainda vem do tema da “Esperança” …

Os tempos andam conturbados. Parece que não existe uma saída para Portugal e para todos nós. Ainda esperamos que D. Sebastião nos venha salvar deste torpor e desta miséria em que vivemos: da falta de ideais, da falta de calor humano entre os portugueses… é isso, cada um vivendo a “sua” vida e… salve-se quem puder! A solidão pesa em Portugal...

Ao que chegámos!

Não sei o que nos espera amanhã. Já não existem homens que nos empolguem e nos façam vibrar e construir coisas, construir o amanhã com as cores da Esperança… Os homens de hoje apenas destroem; estão possuídos da fúria de destruir tudo o que foi alcançado, antes e depois do 25 de Abril. Os homens virtuosos, com sonhos nos olhos morreram todos… o último morreu nos horrorosos anos oitenta, e refugiado no Brasil…


“Resta-nos” Deus, que Ele sim é fiel e eterno… Deus que criou o mundo e tudo o que existe, Senhor do Tempo e da História, do Céu e da Terra.



Deus que sonha com um mundo que seja "casa para todos". Mas há tanta solidão... até em nossas casas...

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Cleopatra said...

AI CM;... Vexa está a precisar de um abanão!

sábado, janeiro 12, 2008  
Blogger Cabral-Mendes said...

Talvez talvez... deve ser a crise que os homens têm...

sábado, janeiro 12, 2008  
Blogger GP said...

"A solidão pesa em Portugal". Na minha casa também e de que maneira e não estou. neste momento, a saber lidar com ela.

Beijo

segunda-feira, janeiro 14, 2008  
Blogger Cabral-Mendes said...

A solidão é, de facto, uma "doença" dos nossos dias. E ela até pode instalar-se nas nossas casas, sem ter sido por nós chamada. E, para a convidarmos a sair... por vezes é difícil... mas temos de ser firmes e apontar-lhe a porta de saída...
Bjs, gp.

terça-feira, janeiro 15, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home