Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 2 de dezembro de 2007

Estamos já em Dezembro...



Dezembro. O mês mais belo do ano. Cheio de poesia, de encanto, de magia... Também o mais doloroso.

Imagino o que seria poder ainda passear com os meus pais nas ruas da Baixa de Lisboa, na Rua da Conceição, na Rua dos Douradores, na Rua de São Julião (onde existiu uma das maiores Empresas deste País, a CNN, um colosso destruído pelos ventos da História, e onde meu pai trabalhou...). E poder dizer a este que, apesar de todas as adversidades e ciladas que nos fizeram, o amor o perdão e a a caridade são mais fortes que todo o Mal... mas é tarde...


Invariavelmente, tudo é dramaticamente tarde de mais na vida... O Tempo não espera por nós...

Nota: foto da Rua da Conceição; autor: Eduardo.

4 Comments:

Blogger gasolina said...

Não o creio... quem nos ama e a quem amamos sempre nos escuta.
Como sei do que fala neste Dezembro...

Um beijinho

terça-feira, dezembro 04, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Obrigado pelas suas palavras, gasolina; nós sabemos do que falamos, não é verdade?

Um beijinho também para si.

quarta-feira, dezembro 05, 2007  
Blogger Cleopatra said...

A Caridade não existe.
É uma parvoice, algo amorfo e hipócrita.

Existe sim o AMOR ao próximo.

E o tempo não espera não CM. Não tenha tempo para não ter tempo.
1 bj

quarta-feira, dezembro 05, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Sim, Cleo, o amor...mas eu falava da caridade no sentido franciscano do termo...precisamente o amor àqueles que nos rodeiam...

Obrigado pelo conselho...

Bj.

quinta-feira, dezembro 06, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home