Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 27 de março de 2007

Anunciação do Senhor


Nesta segunda-feira, a Igreja celebrou a Solenidade da Anunciação do Senhor:

"Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus
a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José. O nome da Virgem era Maria. Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo:
«Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo".

(Evangelho de São Lucas, 1, 26-28)



É mais forte do que eu: quando rezo o Terço, e pronuncio estas doces palavras do Anjo - “Ave Maria, cheia de Graça, o Senhor está Contigo!” - assalta-me uma comoção!

Como é linda esta frase do Anjo Gabriel!

Que poderei dizer agora, nesta madrugada tão adiantada de terça-feira? Deste tão grande Mistério, o SIM de Maria?

Porque soube dizer SIM a Deus, Maria foi a Mãe de Jesus, do Verbo de Deus. E foi através de Seu Filho, quando Este entrou no Mundo, que a Humanidade teve possibilidade de redenção.

Como disse o meu querido João Paulo II, “O consentimento expresso [por Maria] na Anunciação, há dois mil anos, representa o ponto de partida da nova história da humanidade. Com efeito, o Filho de Deus encarnou e começou a habitar no meio de nós, quando Maria declarou ao anjo: «Eis a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 38).


Aos pés de Jesus, também digo: "Eis aqui o escravo do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra" ...

Nota: "Anunciação", óleo sobre tela, por Bento Coelho da Silveira - 1655. Museu de S. Roque, Lisboa.

3 Comments:

Blogger Ni said...

Comove-me a sua Fé... e sinto a nostalgia de não saber onde e quando e porquê a minha se começou a tornar ténue, uma vez que tive uma infância e adolescência vividas em plena alegria e integração em grupos Católicos.

...

A oração ainda me faz estremecer, uma vez que sinto a força de cada palavra que pronuncio.

Gostei muito de o ler, neste post.

sexta-feira, março 30, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Obrigado pelas suas lindas palavras, Ni, que me tocaram muito.

Talvez que me chamem de ingénuo, mas não posso abafar esta minha paixão. A Fé, para mim, é isto: Amor e Paixão.

sábado, março 31, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Em tempo:

Ni, se procurar dentro de si, sem pressas, vai ver que a paixão vai renascer...basta apenas estar atenta...olhe Ni, a oração é conversar com Deus, com Jesus, com o Espírito Santo, com a Virgem Maria. E a Beleza d'Eles é imensa...é reconfortante...já viu como a música sacra nos eleva o espírito? Olhe, ainda esta noite fui ao CCB, ouvir o "Requiem" de Verdi... cheguei á pouco a casa: até nos sentimos já no Céu...então, quando a soprano (grega) Dimitra Theodossiou entrava em acção!... de cair para o lado! Às vezes digo aos amigos que espero bem que no Céu haja esta música.... ai pareço uma criança não é verdade? Mas olhe, sou assim...

Bjs.

sábado, março 31, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home