Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

O "Novo Ídolo" da sociedade europeia (no rescaldo do referendo à liberalização do aborto...).



“Nenhuma lei dos homens pode subverter a lei divina sem que a sociedade seja dramaticamente afectada”

Bento XVI, in Audiência aos participantes da "Convenção sobre o Direito Natural”, 12 de Fevereiro 2007, Roma.

Com efeito, quando o poder legislativo vai contra o sentir de uma sociedade, e cede a grupúsculos não representativos da mesma, e portadores de fins inconfessáveis, o Direito Natural é uma arma ao serviço da protecção dos direitos humanos fundamentais. Como a Vida...
Quando Nietzsche, no seu "Zaratustra", escreveu sobre o "Novo Ídolo", o novo deus que emerge na modernidade que alguns (muitos, infelizmente) querem, se não ateia, pelo menos agnóstica, só errou quando o chamou "de Novo": ele é bem antigo e bem conhecido do Homem:
ele é o Inimigo de Deus e nosso inimigo!

2 Comments:

Blogger Cleopatra said...

Ai que pézinhos fofinhos...

sexta-feira, fevereiro 23, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

São mesmo!...

sexta-feira, fevereiro 23, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home