Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quinta-feira, 25 de maio de 2006

Luandino Vieira à semelhança de São Francisco, ou as voltas que a Vida dá...


Segundo o “Correio da Manhã”, o escritor angolano (por opção, uma vez que ele nasceu em Vila Nova de Ourém) Luandino Vieira, recusou o Prémio Camões e os respectivos 100 mil euros, alegando “razões pessoais e íntimas”.

Segundo o mesmo jornal, apenas o escultor José Rodrigues, que acolhe o escritor no seu Convento de S. Paio, em Vila Nova de Cerveira, não se surpreendeu.


Relata José Rodrigues que ele vive “ como um franciscano”. Parece que se retirou (fisicamente) do Mundo mas “continua atento a tudo o que acontece”.

Segundo o escultor, Luandino Vieira “passa os seus dias a passear pelos montes, a falar com os passarinhos e os animais e a escrever cartas”.

Faz-me lembrar São Francisco, filho de um rico comerciante de tecidos, que renunciou definitivamente aos bens materiais, dando à sua vida um novo rumo, tornando-se o Santo dos pobres e humildes e protector dos animais…dando, no fundo, valor àquilo que é, na verdade, essencial nesta nossa peregrinação: o amor, a amizade, a solidariedade. E desprezando as ilusões deste mundo…

Eu creio que, neste pequeno círculo do Incursões, também vamos, de certo modo em paralelo com o caminho de São Francisco e, para as nossas “girls” incursionistas, à maneira de Clara de Assis, realizando esse desiderato de fraternidade…

A notícia continua, chamando a atenção para o facto de Luandino continuar a escrever. Prepara uma obra intitulada ‘O Livro dos Rios’, primeiro volume da trilogia ‘De Rios Velhos e Guerrilheiros’, a lançar em Novembro.

Parece-me que vou ficar atento…

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home