Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Do Amor V


Sabia muitas coisas. Da terra, dos astros, do Norte, do Sul, Este e Oeste. Coisas que a gente nova desconhece e outros esqueceram.

Lamento não ter aprendido com ele a cultivar e a lançar as sementes à terra. O conhecimento assim perdeu-se.

Do seu labor já quase nada existe. Hoje tudo ao abandono, as árvores de fruto, as flores. Por plantar os tomates, as batatas, as couves…

É por isso que, ao ver aquele quintal deserto, constato que uma história pessoal aqui na Terra terminou, uma época e um ciclo de vida que se fechou.


Mas, precisamente por tudo isso, é insuportável visitar o vazio daquela casa, já cheia de sombras.


 

Etiquetas:

1 Comments:

Anonymous Mot@ said...

deixou boas recordações, era um bom homem, que não merecia penar tanto para acabar por morrer, ficará para sempre na memória dos que dele gostavam.....

domingo, janeiro 20, 2013  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home