Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dia de Todos os Santos



em todas as canções do vento,
um refrão que diz que nunca mais encontrarei
a grande porta do teu amor.
Quando aí batia,
com três pancadas secas que já não se ouviam
um pouco além,
eram outros os anos,
outros os cristais de comovida arte,
contemplados por Deus.


Há,
em todas as canções do vento,
um grito,
um lamento de anjos que partiram para sempre,
deixando amargas liras e a saudade de te ver
ainda,
num século de doces tardes.


José Agostinho Baptista, in "Agora e Na Hora da Nossa Morte", Assírio & Alvim, 1998. Com a devida vénia.
Nota: Cartaz do filme "Nada Pessoal", que nos fala da nossa solidão e do nosso fim.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger maybe said...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

terça-feira, novembro 02, 2010  
Blogger C.M. said...

I thank you for your kindness!

domingo, novembro 07, 2010  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home