Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A vergonha da "descolonização" (ou abandono?) de ANGOLA.


Tenho lido neste verão alguns livros sobre o descalabro que foi a "exemplar" descolonização. Uma verdade que, por incómoda, cheia de traições de políticos que nos têm (des) governado desde o 25 de Abril, foi silenciada ao longo destes quase 40 anos.

Os nossos políticos e (ó vil tristeza!!) militares têm as mãos manchadas do sangue de portugueses que foram presos e torturados pelo MPLA antes e após a independência de Angola.


De facto, chegou-se ao ponto de comandos e fuzileiros de "esquerda" raptarem, em Angola, portugueses civis para os entregarem ao MPLA, que os manteve durante largos anos em cárceres, antes da independência em cárceres privados, e mais tarde em campos de concentração, como o denominado SAPU, perto de Luanda. Quando não os fuzilava de imediato...

Rosa Coutinho e seus apaniguados de Lisboa - os homens do MFA, do COPCON, o ridículo (mas perigoso) Vasco Gonçalves de então, foram coniventes com as torturas e assassinatos de milhares de portugueses que viviam em Angola.


Que ardam no Inferno ! (bem sei que esta afirmação não é nada cristã mas... tenho a alma horrorizada com o que tenho lido...).

Leia-se o impressionante dramático e revoltante relato de Leonor Figueiredo no seu livro "Ficheiros Secretos da Descolonização de Angola", editado pela Aletheia.

Lamento ter vivido tantos anos na ignorância... e lamento que o nosso povo só queira saber da casinha, do carrinho, do futebol, dos concursos estupidificantes da TV, e nada leia sobre a nossa recente e dramática História, para aquilatar da falta de moral, falta de honra dos verdadeiros crápulas que nos têm governado desde essa data fatídica do 25 de Abril de 1974!

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home