Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Igreja do Lumiar – S. João Baptista



Nesta quinta-feira a Igreja celebrou a festa do nascimento de São João Baptista, aquele que no ventre da prima de Nossa Senhora, Isabel, se agitou quando ouviu a voz da Mãe de Deus.

Segundo o historiador romano Flávio Josefo, João Baptista “exortava os judeus a praticar a virtude, a justiça uns com os outros e a piedade com Deus, e depois a receber o baptismo” - vide Joachim Gnilka, in "Jesus de Nazaré, Mensagem e História", Ed. Vozes.

A sua mensagem consistia no anúncio da necessidade de adopção de uma atitude de penitência, exortando à conversão, e alertando que viria Aquele que seria mais forte do que ele, pois que não baptizaria apenas com água mas sim baptizaria no Espírito Santo.

Esta Igreja da minha Paróquia, construída no séc. XVII, tem como orago São João Baptista, realizando-se uma pequena procissão no seu adro, na qual, por motivos profissionais, não pude participar.


Para o ano, se Deus quiser!

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home