Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Marcadores (improvisados) de livros.

No Jornal "I", veio publicada uma curiosa notícia acerca de uma exposição, em Vila Real, denominada "Coisas que aparecem no meio dos livros", e que versa sobre "marcadores" de livros improvisados. Isso mesmo! "Artefactos" como telegramas, cartões de visita, pratas de chocolates, trevos de quatro folhas, postais ilustrados, boletins da lotaria com mais de 50 anos, listas de compras.


Um dia, alguém também há-de achar os meus "marcadores" nos meus livros...

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger redonda said...

Já utilizei bilhetes de transporte e de Serralves como marcadores. Não tinha ideia de tantos outros como pratas de chocolates e trevos de quatro folhas...este até parece um óptimo marcador.

domingo, março 21, 2010  
Blogger C.M. said...

Bilhetes de transporte também já me "sucedeu", Redonda. E florinhas também...têm o seu significado...

segunda-feira, março 22, 2010  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home