Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Igreja e Nação. A propósito da necessidade de "subir à montanha".


Hoje a Igreja celebrou a "Transfiguração do Senhor". Infelizmente, com uma forte "gripalhada" desde a semaman passada, não me foi posível sair de casa e participar da Santa Missa. "À falta de homilia", socorri-me, e bem, daquela que foi escrita para este Domingo pelo Padre Franciscano João Lourenço, Catedrático da Católica, no Jornal "Voz da Verdade".

Afirma ele que "Jesus tem necessidade de "subir à montanha" para orar, para se sentir mais próximo de Deus e, ao mesmo tempo, para ser capaz de se distanciar dos ruídos e das sombras que o impediam de testemunhar a glória do Pai. "

Ora, diz João Lourenço que "Subir à montanha representa sempre um esforço de aproximação, um empenho renovado em busca do verdadeiro rosto de Deus que o quotidiano da nossa vida nem sempre nos permite descobrir. "

De facto, penso como hoje em dia também andamos todos aflitos, enervados, revoltados mesmo com a Política e com os "nossos" (vade retro...) políticos, que nos consomem as energias que mais bem empregues seriam noutro mister, mormente o mister de Deus, da leitura da Sua Palavra, ao invés de perdermos tempo com os "enredos" que aqueles vão construindo, e cujas novelas desfilam quotidianamente nos nossos jornais e televisões.

De facto, antes da "gloriosa" revolução (?!) dos Cravos não haveria total liberdade para criticar o Governo mas… hoje há? E de que serve essa mesma liberdade? Eles, políticos de hoje, continuam a fazer o que bem querem!

No tão vilipendiado Estado Novo, tínhamos um País e uma Nação coesa, solidária, e com um desígnio nacional. Hoje, temos um País de mal consigo próprio, sem rumo e sem esperança em melhores dias. Carreiras na Administração Pública de longa tradição e prestígio "apagadas" com um simples decreto, diversos ramos profissionais vilipendiados, instituições corrompidas pelos poderes subterrâneos que tomaram conta deste País, enfim, uma lista infindável...

Onde existiu um País onde imperava a ordem e o respeito, hoje impera o crime organizado.
Antes de "25 de Abril", no "antigamente" como queiram, só ocupavam as cadeiras do Poder pessoas com profissão e carreira já firmada, e que davam garantias de virem a ser governantes responsáveis que apenas teriam em vista o superior interesse da Nação, o respeito pelos bens públicos, e não o seu próprio interesse.


Como diz João Lourenço, "Vivemos hoje numa sociedade opaca, onde falta transparência social, política, económica e de valores; uma sociedade cada vez mais marcada por sombras e dúvidas que testemunham a falta de luz e de dignidade de tanta gente (...)."


Foi para cairmos neste "pântano" que se destruíu uma Nação em 1974? Para dar lugar a esta "gentinha"?!

Etiquetas:

7 Comments:

Blogger Margarida said...

Antes de mais: votos de rápidas melhoras.
E toda s 'solidariedade', porque ando na mesma há que tempos!
É exasperante...
Depois volto, para o restante, que não é falho de pertinência.
:)

segunda-feira, março 01, 2010  
Blogger C.M. said...

Obrigado e as melhoras também!

Ora, não quer lá saber que hoje li no Expresso (leituras atrasadas...) que as gripalhadas que por aí andam são apenas as derivadas do H1N1?!!!!! Que este "limpou" por ora e por completo os vírus "normais" da gripe! E esta hem? "GLUP"!

Só o Sócrates não "apanha nada"! BOLAS! O gajo deve ter pacto com o inimigo!

segunda-feira, março 01, 2010  
Blogger C.M. said...

Este comentário foi removido pelo autor.

segunda-feira, março 01, 2010  
Blogger C.M. said...

Este comentário foi removido pelo autor.

segunda-feira, março 01, 2010  
Blogger C.M. said...

Livra, que o comentário saíu em triplicado!

segunda-feira, março 01, 2010  
Blogger Margarida said...

LOL! Tanta é a 'sanha' contra o homem, que acha que faz o melhor!
E faz. O que pode.
Que não será o que deve.
Além de irritar um bocadinho, coitado, sempre que o ouço mudo de canal porque não suporto a voz, o nariz, as gravatas...
Coisas.
Bem sei que meio imbecis, mas é o que há...

terça-feira, março 02, 2010  
Blogger C.M. said...

Também não suporto a voz irritante nem o nariz de pinóquio. Eu sei que "isto" não é lá muito cristão, mas... NÃO POSSO, "PRONTOS"!!

quarta-feira, março 03, 2010  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home