Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Ainda São Nuno de Santa Maria.


(...) Nun'Álvares, pelo carácter providencial da sua missão, teria de terminar sobre os altares, oferecendo a Deus, com a sua espada, o lírio imarcessível da sua clara alma de Galaaz!"


António Sardinha, in "Meditação de Aljubarrota" texto inserido no volume "Ao Princípio Era o Verbo", edição da Editorial Restauração, Lisboa, ano de 1959. A fls. 27.


Mais um grande escritor, historiador e doutrinador português. Completamente desconhecido das actuais gerações. Pois se não existe a passagem de testemunho da nossa cultura e a transmissão dos mais preciosos valores às gerações que nos sucedem!


Por isso a Nação portuguesa está morta.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home