Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O Ministério Público do 25 de Abril


"O Ministério Público é um poder feudal. Há o conde, o visconde, a marquesa e o duque".

A frase, já de antologia, é da autoria do procurador-geral da República, Pinto Monteiro, e foi proferida em Outubro de 2007.

Interrogo-me: poder feudal? Então “este” Ministério Público, que “nasceu” com o 25 de Abril, tornou-se num poder feudal? Apenas em trinta anos? Mas, afinal, não foram estes que o dirigem precisamente aqueles que criticaram desde sempre o regime do Estado Novo?

São melhores? Não: são infinitamente piores!

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Cleopatra said...

Aqui não há bonequinhos do sapo senão eu punha cá a minha opinião.!
Olhe, vou preguiçar. Até logo

domingo, outubro 26, 2008  
Blogger C.M. said...

Preguiçe preguiçe que hoje é Domingo. Eu vou ver se convenço a mais que tudo a ir ver o mar...

domingo, outubro 26, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home