Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

O ódio...



"Você não é nada, nada de nada, você não vale nada", disse ele, olhando-o cheio de ódio nos olhos, com gestos largos agressivos e veementes.


Depois disto, que poderia dizer? Nada! Hoje, como sempre, ele "não é nada"... para ele.
E não tinha que dizer rigorosamente nada. Mas disse. Palavras não entendidas, levadas pelo vento do ódio.

Ele não pertençe a nada nem a ninguém, a não ser a Deus. Mas ficou perante aquele sem alma, sem coração. Destruídos. Caídos no chão.

Ninguém sabe que ele existe. Ninguem lhe conhece a alma.




Etiquetas:

2 Comments:

Blogger JM Coutinho Ribeiro said...

Tem andando muito silencioso. Está tudo bem?

quinta-feira, outubro 23, 2008  
Blogger C.M. said...

Olá querido amigo!

Vai-se andando. Muito trabalho... chatices... enfim...

Descuilpe que só agora vi o seu comentário ( de amigo).

Um Abraço!

terça-feira, outubro 28, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home