Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

A semente de Deus ninguém a pode tirar...


“Defendamos a família, relicário de amor sustentado pelas mãos trémulas dos nossos pais. Defendamos a Pátria, que consubstancia as nossas glórias de outrora, a Pátria que é bela, porque é a mãe de todos nós. Defendamos Deus da ignorância e do atrevimento, porque Deus é a suprema aspiração da alma humana, o grande mistério que ilumina as regiões do Além. Defendamos a Família, defendamos a Pátria, defendamos Deus pela Liberdade! Deus, Pátria, Liberdade, Família”.

Afonso Pena, escritor e político brasileiro.



Todo este ideário foi sendo combatido, desde o Iluminismo, na Monarquia Constitucional, no nosso País passando pelo Regicídio, pela implantação da República, no Estado-Novo que se "atreveu" a defender aqueles valores... até que venceram aqueles que hoje nos (des)governam.



Até um dia...


Alguém escolheu por nós; alguém escolheu o caos, a revolução social com o seu cortejo de violências no denominado "PREC", o esfacelamento da Pátria...


Aí está, diante de nós, o Portugal convulso, sem destino à vista, com a destruição, há trinta e poucos anos, de um regime político constitucionalmente consagrado.


Hoje somos reféns daqueles que Marcello Caetano apelidou de "profissionais da contestação".



Resta uma pequema semente: estudei pelo Catecismo que está na imagem. A despeito de todas as adversidades, a semente ficou e se fêz árvore...


Há aí algures uma floresta...

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Cleopatra said...

Também estudei por aqui. Era da minha mãe. Ela também tinha tido catequese por este livrinho... coisa estranha...


Ah! E tem lá um desafio.

terça-feira, fevereiro 19, 2008  
Blogger Cabral-Mendes said...

Ai estes nossos percursos... só a nossa geração se compreende..

terça-feira, fevereiro 19, 2008  
Blogger Cleopatra said...

Oh CM vá lá novamente ao meu blog per favore!

quarta-feira, fevereiro 20, 2008  
Blogger Cabral-Mendes said...

Ok! Mas já lá tinha ido... mas volto...

quarta-feira, fevereiro 20, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home