Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

A coberto da noite em que vivem os portugueses...




Não resisto a colocar aqui um excerto de um artigo do meu amigo João Baptista Magalhães, Professor de Filosofia. Pese embora a diferença de crenças, ele acaba de ir ao meu encontro, ou eu ao seu encontro, nesta frase lapidar, acerca do estado desta (hoje pobre) Nação.



Com a devida vénia:

"Este Governo colocou-se contra todas as profissões, desde professores a polícias. Não dialoga com ninguém e impõe a sua vontade contra tudo e contra todos. Quem vive do seu trabalho anda desmotivado, perdeu a confiança nos políticos e nas instituições: está sem capital de esperança acossada pelo fisco e pelo medo. Quem ganhou com isso foram os marginais. Eles sabem que, ninguém acredita em ninguém e, por isso, a coberto da noite em que vivem os portugueses, podem fazer vingança, semear o terror e disso tirar vantagem."

(in Margem Esquerda



Portugal vive pois na noite... todos nós vivemos hoje na noite... como que clandestinos no nosso próprio País.


E foram estes homens que, antes de tomar o poder, falavam de direitos, de dignidade, de liberdade, de justiça?


Ai que a Portugal só aportam arrivistas e vendedores da banha da cobra! O pior é que há sempre quem compre...




Nota: foto da FotoSearch - Banco de Imagens - (com a devida vénia).

4 Comments:

Blogger Cleopatra said...

Antes de tomar qualquer poder todos são contra esse mesmo poder.
Todos se arrogam qualidades democráticas, grandes poderes de mudança. grandes mudanças...
Depois, todos exigem dos outros dignidade, sem a terem, todos exigem, vontade sem a terem, todos querem ter e ser , sem puderem...

É assim em todo o lado...com tudo, com todos os cargos.
Assim, se não querem ser integros não se devem pôr em bicos dos pés... gritando que querem a fila da frente
Um bj

Boa viagem para a esposa

quarta-feira, dezembro 12, 2007  
Blogger gasolina said...

Infelizmente, concordo em absoluto com o texto publicado. Quisera discordar...

Afinal, caminhamos para onde?
É isto saír da cauda Europa?

Triste, muito triste.

Um beijinho.

quarta-feira, dezembro 12, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Tem toda a razão, Cleo. Parece que o poder lhes dá vonta à cabeça... mas pensando melhor, eles até já eram assim... não tinham era precisamente esse mesmo poder para tiranizar toda uma sociedade...


Obrigado, Cleo...a minha amiga também um destes dias... grande jantar... tem de ser... há que "desenferrujar a língua"...

quinta-feira, dezembro 13, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

gasolina, também não me parece que algum dia possarmos sair desta "vil tristeza"...

Beijinho.

quinta-feira, dezembro 13, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home