Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 1 de maio de 2007

1º de Maio: invoquemos a benção de São José!



No dia 19 Março deste ano, escrevi umas linhas acerca de São José, este nosso Protector e Pai Celeste ("São José, Príncipe de todos os Bens do Senhor").

Que direi hoje, neste primeiro dia de Maio, o mês de Maria? Que maravilhas poderei aqui contar do seu Castíssimo Esposo?

Como já escrevi, corria o ano de 1953 quando o Papa Pio XII instituiu a festa litúrgica de São José Operário, designando para esta o dia primeiro de Maio. A intenção foi a de que todos reconhecessem a dignidade do trabalho, e a justa repartição de direitos deveres e riqueza.

É bom lembrar aqui (de novo) as sábias palavras de um bom amigo, sacerdote e frade franciscano, Frei David Azevedo (cito de cor): “como seria lindo o homem poder colocar na mesa, com amor, e com toda a naturalidade, o pão ou a fruta apanhada no campo, e oferecê-la ao seu irmão!...”

Isto é que seria a Paz e a Beleza implantada no Mundo!

Em plena crise à volta da integridade da família, temos de nos deixar cativar pelo exemplo de autêntico amor familiar que nos dá a Sagrada Família: Jesus, Maria e José.

Com os olhos postos na nossa doce Mãe, temos de dizer não a esta sociedade em que apenas abunda o supérfluo, a febre do consumo irracional, e que aliena a própria dignidade do Homem.

Encomendemo-nos a Maria, que é a "Rainha da Família", e a Seu Castíssimo Esposo, São José.

Este é o “homem justo” a quem foi pedido que desempenhasse a sua missão de pai perante a sociedade patriarcal daquele tempo. E assim Ele deu o Seu nome, protegendo a Virgem Maria e o Filho de Deus.

São José foi, na verdade, na crueza daquele Tempo, guarda da virgindade e honra de Maria Santíssima, bem como do Menino Jesus!

Seguindo este exemplo, outro mundo assim será possível.


Nota: Quadro de Josefa de Óbidos - " São José e o Menino".

3 Comments:

Blogger ferreira said...

Desconhecia...sempre pensei que o dia de S.José fosse em Abril.
Sempre a aprender.

terça-feira, maio 01, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Amigo Ferreira, na Igreja celebra-se São José, Esposo da Virgem Santa Maria, no dia 19 de Março, um dia deveras solene.

Neste 1º de Maio celebra-se o dia de São José Operário...
Um abraço e um resto de semana profícua... no trabalho!

quarta-feira, maio 02, 2007  
Blogger ferreira said...

Fiquei envergonhado com a minha ignorãncia...esquecimento...tenho bebido do Letes...:)
Boa Semana Cabral Mendes!

quarta-feira, maio 02, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home