Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Lux Aeterna...


O realizador James Cameron (aquele do “Titanic”…) produziu um documentário intitulado "O Sepulcro Esquecido", exibido ontem à noite na televisão, o qual mereceu comentários do Padre Carreira das Neves, Franciscano, e de uma antropóloga forense.

Trata-se, segundo aquele cineasta, de um túmulo de há 2 mil anos, situado em Talpiot, nos arredores da Cidade Santa de Jerusalém, o qual teria sido utilizado para guardar os restos mortais de Jesus e da sua “família”. E sustenta a sua tese com base nas inscrições apostas nos túmulos: Jesus, filho de José; Judá, filho de Jesus; Mariamne; Maria; José; e Mateus.

Contudo, o cientista que trabalhou nas escavações nos idos de 80, Amos Kloner, afirma que o túmulo de Talpiot pertencia a uma família de classe média do primeiro século.

Ora, bem sabemos que a família terrena de Jesus é originária da Galileia, sem ligação a Jerusalém.

De facto, o que está bem implícito no referido documentário é a tentativa de refutação da Ressurreição de Jesus Cristo e, consequentemente, a tentativa de minar os alicerces da Fé Católica.

Fiquei admirado pela “rendição”, digamos assim, do referido teólogo, segundo o qual, se bem percebi, a provar-se a veracidade de tal descoberta, tal constituiria motivo, no mínimo, de perplexidade ou perturbação para nós, cristãos.

Mas, eu que nada sei, e que sou um pobre analfabeto ao pé do Padre Carreira das Neves (que aliás aprecio imenso), repouso o meu espírito na leitura dos doces Evangelhos.
Então vejamos:

Diz-nos São Lucas (24, 1-6):
"1. No primeiro dia da semana, ao romper da alva, as mulheres foram ao sepulcro, levando os perfumes que haviam preparado.
2. Encontraram removida a pedra da porta do túmulo
3. e, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.
4. Estando elas perplexas com o caso, apareceram-lhes dois homens em trajes resplandecentes.
5. Como estivessem amedrontadas e voltassem o rosto para o chão, eles disseram-lhes: "Por que buscais o Vivente entre os mortos?
6. Não está aqui; ressuscitou!”.

As mulheres eram Maria de Magdala, Joana e Maria, mãe de Tiago...


De igual teor, temos o maravilhoso relato de São Marcos (16, 1-8). E o de São Mateus (28, 1-10) e de São João (20, 1-18).

E que dizer das aparições de Jesus, primeiro a Maria de Magdala e, depois, aos Seus Discípulos?!


Curioso é o facto destas "descobertas" e consequentes “dúvidas” virem a lume no rescaldo da Páscoa (passagem) do Senhor, que passou da morte à Vida!…


Quem nos dera ser como Maria Madalena e com ela dizer:

Vi o Senhor!
(São João, 20-18).

6 Comments:

Blogger joaquim said...

Mas o Padre Carreira das Neves, sendo realmente um exegeta reconhecido da Biblia, não deixa de nos surpreender,muitas vezes pela negativa, com a facilidade com que coloca em causa tantas verdades da da Doutrina, da Fé.
Já o ouvi algumas vezes, na televisão, por exemplo, negar a existência do diabo.
Já o ouvi contemporizar com leituras, digamos "indignas", da vida de Jesus.
A minha opinião pessoal é que de um modo geral as televisões convidam para este tipo de programas as pessoas que se prestam à polémica, inteligentes ou não, e não aquelas que defendem intransigentemente a Doutrina e a Fé, tanto mais que este programa já foi posto em causa pela própria organização que o realizou.
Ver, por exemplo em www.facaseluz.blogspot.com

Com isto não quero colocar em causa o Pe Carreira das Neves mas apenas constatar factos.
Este não é o primeiro nem será o último ataque à Fé à Doutrina, mas como muito bem diz e afirma, a nossa certeza está na Palavra de Deus.
Abraço em Cristo
www.queeaverdade.blogspot.com

segunda-feira, abril 16, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Obrigado pela sua partilha.

Concordo consigo que, por vezes, não se entende certos Padres. Alguns quase que vão contra o que dizem as Escrituras...como essa de não existir "Inimigo"... por exemplo, os relatos do Novo Testamento, no que toca a pessoas curadas por Jesus, como é o caso de Maria de Magdala, são desviados para "meros" problemas psíquicos que elas teriam... quando não é isso que as Escrituras afirmam...é, por vezes, de ficar, efectivamente, perplexo...

Visitei o seu blog: fantástico!

Um Abraço!

segunda-feira, abril 16, 2007  
Blogger André Alves Correia said...

Caros amigos,

Embora não tendo visto o (pseudo) documentário, ouvi com atenção as palavras do Pe. Joaquim.

Curioso que fiquei com uma sensação contrária à vossa. Pareceu-me que o Pe. Joaquim quis relativizar por completo esta descoberta, suprindo-se até do seu conhecimento profundo da Terra Santa, onde passou vários anos.

Ele concerteza não precisará de defensores, mas creiam-me - de quem já participou em inúmeras reflexões e até em dois retiros de casais das ENS pregados por ele - que o Pe. Joaquim sabe bem do que fala.

Um abraço em Cristo.

terça-feira, abril 17, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

Obrigado pela sua partilha, André Alves Correia.

Não vou além do que V. disse. Apenas me parece que foi uma pena o Frei Carreira das Neves não ter sido mais assertivo. Mais combativo. Afinal, não são os Evangelhos o nosso guia? Não relatam eles a Verdade? Alors...

Um Abraço em Cristo.

( vou visitar o seu blog).

terça-feira, abril 17, 2007  
Blogger André Alves Correia said...

Caro Cabral-Mendes,

É verdade que somos impelidos e exortados a "combater o bom combate", como S. Paulo tão admiravelmente nos confiou.

Mas cada um tem as suas armas, o seu tempo, o seu campo de batalha... Talvez aquele momento não fosse o mais favorável...

quarta-feira, abril 18, 2007  
Blogger joaquim said...

Carissimos Cabral-Mendes e André

Apenas para esclarecer que eu não vi o documentário e por isso fiz um "julgamento" que, se calhar, não deveria ter feito.
No entanto, repito, já ouvi o Pe. Carreira das Neves, mormente na televisão, "baralhar mais do que esclarecer", o que não impede de continuar a ser um dos maiores "especialistas" da Biblia segundo dizem os entendidos.
Eu não o sou com certeza, mas aflige-me sempre que quem é reconhecidamente responsável, não seja esclarecedor e rigoroso em relação à Fé e à Doutrina.
Perdoem-me se falhei no meu comentário.
Abraço em Cristo

quarta-feira, abril 18, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home