Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Tempo de fazer silêncio




Como disse São Gregório Magno, iniciamos hoje os santos quarenta dias da quaresma.


Nesta 4ª feira de cinzas dá-se início ao Tempo Pascal. Um tempo deitado no Silêncio, para reflectirmos sobre a nossa vida cristã, e tomarmos consciência acrescida de que somos “apenas” um pouco de pó. Contudo, esse pó, essas cinzas de um dia, referir-se-ão apenas à nossa completa inutilidade perante a eventualidade de um mundo sem Deus. De facto, como São Paulo bem afirmou, "Se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação, vazia também é a vossa fé” (1 Cor 15, 14.17).



Sem a ressurreição, a vida cristã seria simplesmente absurda. Todavia, como disse aquele Apóstolo, afinal morremos com Cristo e viveremos com Ele.


Iniciamos assim um tempo mais profundamente marcado pela expectativa da redenção futura do nosso corpo e alma, da nossa redenção e ressurreição (cf. Rm 8, 18-23).

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous concha said...

Tempo de silêncio, a caminho do Encontro.Boa Quaresma!

sexta-feira, fevereiro 24, 2012  
Blogger C.M. said...

Obrigado Concha! Santo recolhimento...

sexta-feira, fevereiro 24, 2012  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home