Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O esplendor da Esperança



Bem sabemos que o verdadeiro "esplendor da Esperança" é Jesus Cristo. Mas vem ao caso este título que dei a estas linhas para salientar a notícia do "Público" sobre uma inovadora radioterapia que pode eliminar o cancro numa única sessão, mesmo com o tumor já espalhado, e que estará brevemente disponível na Fundação Champalimaud.



Oferece-me dizer que em equipamentos de ponta para a Saúde é que o Estado deveria ter gasto o (nosso) dinheiro, e não em auto-estradas, negociatas com "robalos" à mistura, estádios de futebol hoje ao abandono, apenas para favorecer os empresários das empresas do betão, e satisfazer aqueles que diziam alto e bom som que quem se "metesse" com o PS "levava"...



Nós é que fomos bem "levados" por esta corja abrilista que arruinou a esperança de um grande País!



Desde o 25 de Abril é vergonhoso o modo como o Estado gasta o dinheiro dos nossos impostos! E, ironia suprema, foi necessário um homem tão perseguido pelos "democratas" abrilistas, um "fascista" como António Champalimaud, ter doado grande parte da sua fortuna para, através de uma (verdadeira) Fundação fazer avançar a investigação médica em Portugal!



E lembrar-me dos tristes peditórios do IPO na rua, que aquilo é um autêntico GULAG!!!



Que diferença do sector do cancro do Hospital CUF das Descobertas: a doença é a mesma, mas as condições em que as pessoas ali são tratadas, o “ar” que se respira, não são de molde a ver o inferno na terra como no IPO… ele existe nessa área da medicina, mas é cruel matar logo à nascença a esperança dos doentes dando-lhes a visão do inferno…



Porque razão o Estado não constroi também hospitais com uma arquitectura bela, com espaços arejados, limpos, e não detém um corpo clínico que cumpre os horários "à risca" ?




Desorganização e ruína é apenas o que o Estado Português tem para nos oferecer!



Nota: na foto (belíssima) a Hope Street, New York,Williamsburg, Brooklyn.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home