Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 6 de novembro de 2011

A dor da ausência...



"Muitos de nós estamos submetidos a uma sombra, re­clusos no jardim do seu pai, no quarto da sua mãe, pros­seguindo até ao ocaso da vida as súplicas a um ausente. E a razão secreta do que perseguimos, mesmo parecendo muito resolvidos e livres, é ainda um confronto, um ajuste de contas (...)."






José Tolentino de Mendonça, "Pai-Nosso que estais na Terra", Ed. Paulinas, Out 2011.



Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home