Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Velhos Relógios no Dia dos Fiéis Defuntos.


Deixei ontem, numa ourivesaria das Amoreiras, o meu " Tissot ", já com uma década, para uma " limpeza" à respectiva máquina.

Para hoje escolhi um velhinho "Cauny Prima", modelo afiançadamente "De Luxe", como se encontra gravado no verso do mesmo. Curiosamente, um luxo que nada tem a ver com o significado da palavra nos dias que correm... hoje, "luxo" quer dizer isso mesmo: luxo! luxo em todo o seu explendor.

Redondo, dourado, com um pequenino ponteiro dos "segundos" muito rápido e nervoso.

Dei-lhe corda, acertei-o e olhei bem para ele: ainda conserva todas as suas peças originais, o vidro forte com um risco bem visível... mas não lhe retira a beleza, pelo contrário, confere-lhe aquela "patine" dos Tempos idos...

E penso agora que o usei no pulso precisamente numa data tão especial: Dia dos Fiéis Defuntos. Há coincidências...

Com efeito, este velho relógio pertenceu ao meu pai ou ao meu avô João, já não posso precisar pois que inadvertidamente os "misturei" - ambos tinham o seu "Cauny"...

De quando em vez chamo-os à vida. Dou-lhes corda. É o acto possível que este pobre mortal pode fazer. Só Deus sabe onde os seus anteriores "proprietários" (somos donos de alguma coisa?) estão! Espero que na Sua Luz, pois acredito na Bondade d' Ele. Acredito com tanta força como aquele Centurião romano que, dirigindo-se a Jesus, Lhe disse: " Senhor, meu servo está de cama em minha casa, ficou paralítico e sofre horrivelmente. Jesus lhe disse: "Eu vou lá curá-lo". Respondeu o Centurião: Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha casa. Dizei uma só palavra e meu servo será curado. Pois eu sou também um subordinado e tenho soldados às minhas ordens. Eu digo a um: Vai, e ele vai; a outro: Vem, e ele vem; e a meu servo: Faze isto, e ele o faz ".


Resta-me, pois, a delicadeza deste "Cauny" que continua a trabalhar com o seu tique-taque imperceptível, tão imperceptível quanto o Tempo que ele marcou para aqueles que já não estão presentes.
///
Nota I: na foto, um "Cauny Prima" mas com calendário. No resto, igual na sua beleza.
Nota II: descoberta esta foto no blog " Santa Nostalgia". Com a devida vénia.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger joaquim said...

Uma curiosidade.

Quando eu era novo a marca Cauny devia ser uma das marcas de relógios mais falsificadas pelos agora chamados contrafactores, a par com o wiskhy Vat 69!

Abraço meu amigo

terça-feira, novembro 03, 2009  
Blogger C.M. said...

Ahahah... do Vat 69 lembro-me bem do gosto horrível! Pudera! Dizia-se que a água vinha ali da ribeira de Sacavém...

Abraço Amigo!

quinta-feira, novembro 05, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home