Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 1 de março de 2009

No primeiro Domingo da Quaresma: frágeis seres que somos.


Estamos no primeiro Domingo da Quaresma. Quaresma é deserto, e Jesus passou por ele.


Também Ele contemplou o “nosso” deserto. O deserto da nossa existência humana, através do qual esperamos alcançar a nossa passagem para Deus, apesar de ele, deserto, ser um tempo e espaço de tentação, de queda. Muitas vezes por causa da indiferença daqueles que nos cercam, e que poderiam ser os primeiros a amar-nos, não só com palavras mas sobretudo com gestos e actos de carinho, ternura, paixão, desejo... afinal somos apenas frágeis seres…

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger JúliaML said...

o meu pai morreu na Pásscoa, era Março, 22.

domingo, março 01, 2009  
Blogger C.M. said...

Então, Júlia, como nós cristãos dizemos, foi mesmo a páscoa dele... Deus o tenha! Beijinho.

segunda-feira, março 02, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home