Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Afronta aos Crentes e a esta Nação de Santa Maria.


Neste Sábado, em Coimbra, o secretário-geral do PS e (infelizmente) primeiro-ministro de Portugal, classificou a regionalização e o casamento entre homossexuais como bandeiras que identificam o Partido Socialista com a esquerda progressista e a esquerda do povo.

Bem, quanto ao dito “casamento”, certamente que só um indivíduo que vive arredado da realidade social, que despreza o sentir da esmagadora maioria do povo português, que desconhece a História deste País, que calca aos pés a cultura e a Fé desta Nação, é que poderia afirmar tal monstruosidade.

Por tudo isso, maldito seja para todo o sempre esse partido e todos os seus próceres e apaniguados!

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Margarida Pereira said...

O Senhor ensinou-nos a compreender e a perdoar.
A sermos tolerantes e a explicarmos o Seu Amor pelo exemplo.
A Paz não é uma palavra.
É acção.
Demonstração.
'Pai perdoai-lhes porque não sabem o que fazem' recorda alguma coisa?
Receio muito pelos corações cumulados...
A meditar.
Com um whiskie (que em tantas outras leituras da Sua Palavra é algo interdito...), porque não?

domingo, fevereiro 08, 2009  
Blogger Margarida Pereira said...

Este comentário foi removido pelo autor.

domingo, fevereiro 08, 2009  
Blogger C.M. said...

Margarida, eu estou essencialmente contra estes políticos que, herdeiros espirituais do ideário da 1ª República, querem destruir em Portugal determinados valores, apenas porque sim. A Igreja e os seus valores, a Fé, as Instituições... Querem abrir à força clivagens na sociedade portuguesa. É por estas e por outras que os muçulmanos nos desprezam: nós, ocidentais de hoje, não sabemos o que é a honra, a dignidade; somos europeus sem valores.

Quanto ao whiskie, é sempre bem vindo! Boa semana.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009  
Blogger Margarida Pereira said...

C.M., os muçulmanos desprezam-nos desde sempre.
E são tão fanáticos quanto entendo que o cristianismo não deve nunca ser.
'Mundo de problemas' afirmou supra.
O nosso mundo terreno não é outra coisa.
E o coração dos homens um magnífico exemplo disso mesmo.
Iremos conversando.
Em tempo.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home