Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Angola de hoje nos Prós e Contras.


Ao visionar hoje na RTP1 os “Prós e Contras”, não posso deixar de lamentar amargamente que os soldados portugueses, através da sua combatividade e imensa coragem, patenteada ao longo da Guerra do Ultramar, abriram ironicamente o caminho para que sejam hoje as grandes potências a“usufruir” das grandes riquezas daquela ex-província ultramarina portuguesa, nomeadamente do petróleo, riquezas essas que sempre invejaram. Daí o financiamento e apoio logístico durante 13 anos aos bandos armados, e a luta diplomática contra Portugal na ONU.

É pena: ANGOLA (JÁ NÃO) É NOSSA… é dos Americanos, dos Chineses. Já foi da URSS e de Cuba…

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger joaquim said...

O problema maior, meu amigo, é quando ainda por cima esses soldados anónimos são mal tratados no seiu próprio país.

Como sabe estive na Guiné e por isso sei do que falo.

Recentemente pediram-me para ir testemunhar num processo para ser atribuida doença a um soldado meu da Guiné...ao fim de 34 anos!!!

Abraço amigo

terça-feira, março 17, 2009  
Blogger C.M. said...

Meu Amigo Joaquim, obrigado pela visita.

De facto, o meu amigo que andou por lá com os seus "costados" é que poderá testemunhar toda a verdade.

Após o 25 Abril, à semelhança dos soldados americanos que estiveram no Vietname, os soldados portugueses foram e continuam a ser "coisa incómoda" que deve ser esquecida.

É uma vergonha que este regime, que se reclama de ser o paladino das mais amplas liberdades e de todas as garantias, não tenha atribuído pensões, e CONDIGNAS, aos "deficientes" das forças armadas. Limitam-se os nossos políticos (todos eles) a esperar que os "incómodos" morram: é chocante, mas é esta a verdade.

Revoltante!

Abraço fraterno.

terça-feira, março 17, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home