Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Alexandre Soljenitsyne: o Último Guerreiro.


Soube hoje pelos “media” que Alexander Soljenitsin faleceu.

Um verdadeiro heroi e sobrevivente dos horrores do sistema soviético, que tão bem narrou nos dois livros que dele li: "Arquipélago de Gulag" e “ Pavilhão de Cancerosos”.

Horrores tais que, tendo lido essas obras há cerca de 30 anos, deitei-as fora, para de algum modo tentar esquecer todas as atrocidades ali descritas.

Tal era o regime que os nossos “democratas” e “antifascistas” defendiam e procuraram, durante meio século, implantar no nosso País!


A História o que tem de dramático é só saber-se a "sua" verdade as mais das vezes tarde de mais.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Cleopatra said...

Deitar fora um livro é crime.
Deitar dois livros constitui a pratica do memso crime por duas vezes.










Já estava a pensar em crime continuado????

terça-feira, agosto 05, 2008  
Blogger C.M. said...

Hum... este poder judicial...

Hoje gostaria de ler de novo essas obras. Mas, de facto, elas causaram-me tanta dor, que não podia sequer olhar para a lombada dos livros...

terça-feira, agosto 05, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home