Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

domingo, 13 de julho de 2008

Palavras loucas IV: apenas grãos de areia...




A terminar este Domingo, pensava nesta tarde, "gasta" a reler coisas de processo civil (que este, nos dias que correm, está em constante mudança...) e, enquanto mergulhava na aspereza da matéria, passavam-me pela mente "tentações" de ainda poder "dar a volta" a esta vida...


Mas o caminho vai longo, e a vida, de facto, é como grãos de areia, que se nos escapam das mãos...

Etiquetas:

14 Comments:

Blogger Júlia Moura Lopes said...

:-)

" e a vida? a vida é para ser vivida até à ultima gota"

boa semana!

segunda-feira, julho 14, 2008  
Blogger C.M. said...

Hum... bem me apetece "bebê-la"!

Boa semana!

segunda-feira, julho 14, 2008  
Blogger Cleopatra said...

CM...dar a volta porquê?
Não ponha tudo de pernas para o ar. Vá lá. Isso é só canseira de um ano cheio de trabalho.

segunda-feira, julho 14, 2008  
Blogger joaquim said...

É fechar mais os dedos e assim só ficarão os grãos de areia, maiores.

São esses, se calhar, que precisam de ser mudados!

Abraço amigo em Cristo

segunda-feira, julho 14, 2008  
Blogger Ni said...

Não considerei esta sua reflexão composta por 'Palavras Loucas'! Bem pelo contrário... sábias. Espelham o lado humano consciente do valor dos afectos, inconformado com a escravidão a que esta sociedade insaciável nos obriga...

E porque a vida... é composta de momentos (grãos de areia) que escapam pelos dedos... perante a pulsação de um coração que sabe que o não vivido, o não partilhado é... perdido... eu não só o entendo como sinto exactamente o mesmo!

Como 'formiguinhas' laboriosas, cumpridoras... anos a fio... não nos será perguntado 'Que fizeste tu dos talentos que te confiei'?... Talentos... mais próximos da cigarra... a tal que canta... cultiva a alegria.... que descobre em cada detalhe do dia - o odor a Verão, a cor do céu ao entardecer, o voo das aves, a surpresa ao descobrir a flor inesperada... que nasceu no passeio de uma cidade alucinada com a velocidade em que )não) se vive!- a verdadeira motivação...
...

Entendo-o tão bem!

E ao olhar para as mãos... alguns grãos de areia que ainda aí permanecem lembram-nos que a vida é uma bênção... e que todos, TODOS os dias, há o tal instante mágico que nos permite a escolha, a mudança... para sermos mais felizes.

Eu ainda não desisti!

E enquanto tiver no olhar o brilho que me murmura que nunca serei escrava das sombras... não desistirei!

Mudo... um pouquinho... todos os dias.

Fácil? Não.
Urgente? Sim!

Um abraço

Ni*

terça-feira, julho 15, 2008  
Blogger Júlia Moura Lopes said...

A vida escapase-nos, sim, se não a soubermos agarrar.
Às vezes distraimo-nos e abrimos demasiado os dedos, como sugere Joaquim.
Entendo que o seu texto não é pessimista, apenas constata a nossa atitude facilitadora para com a forma como desperdiçamos a vida...Lamentar o facto, por si só, é um hino à vida!

quarta-feira, julho 16, 2008  
Blogger C.M. said...

Cleo, lá canseira é verdade... mas também muita desilusão, sei lá... (hum, este "sei lá" deve ser influência da Margarida Rebelo Pinto...).

quarta-feira, julho 16, 2008  
Blogger C.M. said...

Joaquim, a "gente" que bem os tenta agarrar, mas "eles" vão-se!...

quarta-feira, julho 16, 2008  
Blogger C.M. said...

Ni, as suas palavras são sempre um bálsamo!
"inconformado com a escravidão a que esta sociedade insaciável nos obriga..." é isso mesmo! Sociedade que nos obriga a este diário desperdício, quando as coisas verdadeiramente importantes ficam para trás, como viver a vida intensamente, o amor, a paixão, que não há tempo para essas coisas "supérfluas", tudo isso é devorado neste nosso quotidiano...

Ni, também não quero desistir...

quarta-feira, julho 16, 2008  
Blogger C.M. said...

Júlia, o texto talvez seja pessimista, mas ...concordo consigo que "lamentar o facto, por si só, é um hino à vida!" lá isso... pelo menos, existe a percepção de que a vida devia ser realmente vivida com intensidade!

quarta-feira, julho 16, 2008  
Blogger Júlia Moura Lopes said...

CM, eu chamar-lhe-ia um texto realista, lucido, jamais pessimista.

A lucidez é mola que gera as mudanças, voilà!

quinta-feira, julho 17, 2008  
Blogger ferreira said...

Tentações?
Hum... devia publicar um post com o catálogo das ditas.:)
As férias são propicias á mudança...

quinta-feira, julho 17, 2008  
Blogger Cleopatra said...

Cleo, lá canseira é verdade... mas também muita desilusão, sei lá... (hum, este "sei lá" deve ser influência da Margarida Rebelo Pinto...).

CM eu bem lhe disse que era Light demais para si.

Vexa tem de ler é coisas que o acordem! revolucionárias! Que o impulsionem
Que o levem a fazer uma revolução..
Ai ai ai ai que temos de ter uma conversinha de pé de orelha! Força amigo! vamos lá fazer uma revolução!
BJ grande!

domingo, julho 20, 2008  
Blogger Cleopatra said...

O Ferreira é que tem razão:- "Tentações?!"

CONTE CONTE!

domingo, julho 20, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home