Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 12 de julho de 2008

São Bento, Padroeiro da Europa.


No ano de 1957, foi ratificado o Tratado de Roma, o qual instituiu a Comunidade Europeia.

E, em 1964, na sagração da Basílica do Mosteiro de Monte Cassino, o Papa Paulo VI declarou S. Bento como padroeiro da Europa.

Já o Papa Pio XII, na sua Carta Encíclica “Fulgens Radiatur”, se referiu, no XIV Centenário da morte de São Bento, a essa casa (principal) do santo:

“Do alto daquele monte, quando a treva da ignorância e do vício, alastrando, ameaçava tudo subverter, ergueu-se um astro novo que iluminou os povos perdidos por dévios caminhos, conduzindo-os ao culto da verdade e da justiça. De modo que se pode dizer, com razão, que foi o sagrado cenóbio de Cassino refúgio seguro das ciências e da virtude e, para tempos tão calamitosos, "sustentáculo da Igreja e baluarte da fé" (citando Pio X, na sua Carta Apost. Archicoenobium Cassinense, de 10 Fevereiro de 1913).

Hoje, a Europa também atravessa tempos “calamitosos”, cercada que está de inimigos. Mas, talvez que o maior deles seja a indiferença dos próprios europeus perante a mensagem do Evangelho, mergulhados que estão no relativismo, no agnosticismo, no ateísmo, ou num neo-paganismo de contornos satânicos.



Como disse Bento XVI, na passada quarta-feira, “o mundo e, em particular a Europa, precisam de uma renovação ética e espiritual, inspirada nos valores cristãos, para poder recuperar um verdadeiro humanismo”.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home