Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ana Maria Caetano, a última Princesa do Estado Novo.



Hoje é o dia do aniversário da (sempre bela) filha do Prof. Marcello Caetano. Todavia, a idade das senhoras não se diz...


Necessariamente recordo um Tempo em que Portugal era uma verdadeira Nação, com um Destino a cumprir-se no dia-a-dia, com ideais e Fé, muita Fé.

Ah! E não tinha dívidas, bem pelo contrário, possuia créditos sobre a Europa aquando do 25 de Abril de 1974, apesar da desgastante guerra que, ao tempo, os "turras" nos infligiam.

Hoje, neste País (aliás em toda a Europa...) nada é muito interessante. A vida perdeu o encanto e o brilho, e instalou-se em nós uma sensação de impotência perante tudo o que nos rodeia.

Por tudo isso, olho para longe e nada nem ninguém me fará, pois, abjurar da minha crença nos valores do Estado Novo.


Marcello Caetano... ad aeternum!
Nota: Quadro de uma colecção particular. Óleo sobre tela, 1968.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home