Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

There’ll be a place for you and me.

Tarde chuvosa e melancólica, que nos leva a estar refugiados em casa, longe de tudo. Contemplo a estrada molhada, os carros que passam, porventura sem destino interessante, as árvores nuas e penso como amo o Inverno. Esta doce melancolia que nos invade o coração (eu sei o que é: são as "saudades" de Deus que nós tantas vezes sentimos).
Mas a verdade é que o Inverno traz-me a dita angústia! Paradoxal, não? Pois… de facto, apenas o verão me traz a ilusão de que todos os sonhos são possíveis… mas, aqui em Portugal, e como muito boa gente afirma, asfixiamos, emparedados que estamos entre a mediocridade “institucionalizada” e o “crime organizado”…



Procuro respirar, ouvindo Norah Jones, Joss Stone, Diana Krall, Melody Gardot.


E anseio, como esta, que

“ eventually in time
There’ll be a place for you and me”

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger redonda said...

Gostei muito da ideia da melancolia que nos invade em certos dias serem as "saudades" de Deus.

terça-feira, fevereiro 16, 2010  
Blogger C.M. said...

É o que sinto, Redonda. Mais a mais, amanhã entramos na Quaresma...um Tempo de oração, contemplação... talvez connosco próprios...

Obrigado pela sua companhia, Redonda.

terça-feira, fevereiro 16, 2010  
Blogger maria said...

eu adoro o Inverno mas este ano está a pesar-me muito por diversas razões...
aí vai um poema meu porque hoje o tempo está assim :)
xi
maria

FAZ NEVOEIRO EM LONDRES

Tacteando paredes húmidas,
caminho cautelosa.
Lateja-me o coração,
cavalo doido
no meu peito.
Aconchego o casaco
molhado e velho,
num familiar cheiro a mofo.
Sons abafados
de passos
e vultos sombrios
diluem-se na névoa fria.
Faz nevoeiro em Londres
Que saudade de Lisboa.

sábado, fevereiro 27, 2010  
Blogger C.M. said...

Obrigado pelo seu poema, maria!

domingo, fevereiro 28, 2010  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home