Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

De novo, Santa Beatriz da Silva.


Da Missa de hoje:


" Exultemos de alegria no Senhor, que chamou ao seu amor divino esta virgem santa e gloriosa."


"Senhor nosso Deus, que fizestes resplandecer na virgem Santa Beatriz o altíssimo dom da contemplação e a adornastes com a singular devoção à Imaculada Conceição da Virgem Maria, concedei-nos que, seguindo o seu exemplo, busquemos na terra a verdadeira sabedoria para merecermos contemplar no Céu a glória do vosso rosto. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo."




Trago aqui, à colação, este texto que segue, e que já tinha publicado no ano passado. De novo, a memória de Santa Beatriz da Silva, Virgem, celebrada nesta Segunda-feira.


S. Beatriz da Silva, filha de pais portugueses, nasceu em Ceuta por volta de 1424 ou 26 (embora o Padre Marcelino Caldeira, na sua biografia sobre a santa, afirme que ela nasceu em Campo Maior, filha de D. Rui Gomes da Silva, Alcaide-Mor da Vila). De qualquer modo, viveu a jovem nas mágicas planícies do nosso Alentejo, e daqui passou à corte de Castela em 1447 como dama de honor da Infanta D. Isabel de Portugal. Esta, já Rainha em Espanha, ciumenta da beleza de Beatriz, fechou-a num cofre, ou num caixão, ou emparedou-a mesmo, supondo que assim morresse a jovem. Contudo, nos dias em que permaneceu nessa prisão, apareceu-lhe a Virgem Maria com o Menino Jesus nos braços, protegendo-a.


Não tendo conseguido os seus intentos, a Rainha deixou-a partir para onde quisesse, e ela retirou-se para Toledo, onde permanceu cerca de 30 anos.


Ali, e ajudada pela Rainha Isabel, a “Católica” (filha daquela que a tentara matar) fundou a Ordem das Concepcionistas Franciscanas.


Com efeito, em 1484 fundou o Instituto que mais tarde tomou o título da Imaculada Conceição de Nossa Senhora (Concepcionistas) e que foi aprovado pelo Papa Inocêncio VIII em 1489.


Pouco depois de fazer profissão religiosa, faleceu com fama de santidade, tendo sido beatificada pelo Papa Pio XI em 28 Julho de 1926, e canonizada por Paulo VI a 3 de Outubro de 1976.


Hoje em dia, em Campo Maior, celebra-se no 1º Domingo de Setembro a Festa litúrgica de Santa Beatriz da Silva, que compreende Missa e Procissão. Esta, integrando a imagem da Santa, sai da Igreja de São João.


Para além deste perfume de santidade, vejam como se respira aqui toda a poesia das Almas que se abandonam a Deus e ao amor à Virgem Maria...
Nota: na foto, o Mosteiro da Imaculada Conceição - Campo Maior - do site da Ordem da Imaculada Conceição - http://santabeatrizdasilva.com/ . Com a devida vénia.

Etiquetas:

6 Comments:

Blogger Lúcio Ferro said...

Meu caro,

lamento desapontá-lo mas Sartre não escolheu o absurdo coisa nenhuma. Sugiro que o leia.

Saudações.

terça-feira, setembro 02, 2008  
Blogger C.M. said...

Hum... como dizia aquele político conhecido, olhe que não... olhe que não...

Então, meu caro, Sartre não defendeu que o grande mistério metafísico do Ser se reduzia apenas à constatação de que o mundo não tem nenhuma razão de existir e é absurdo que exista?

Se isto não é desespero e um terrível sentimento de que a vida é apenas e tão somente um absurdo!... Não, não posso aceitar tal filosofia.

Saudações também para si.

terça-feira, setembro 02, 2008  
Blogger JúliaML said...

Andei no Colégio de Imaculada Conceição em Lamego, não sabia que ela tinha sido fundadora da Ordem...

Quanto a Sartre, nos meus vinte anos fui atrás da onda,mas jamais agora, em pleno amadurecimento das coisas e da vida... faz-me muita confusão e até revolta a personalidade dele.

Também, que esperamos de alguem que é "alérgico à clorofila"?
Nada,não é mesmo??

terça-feira, setembro 02, 2008  
Blogger C.M. said...

Pois então, Júlia, isso é que foram bons colégios, não é verdade?

Do que diz de Sartre, também o sinto: se o ouvíssemos, se acreditássemos nele, certamente que nos atiraríamos da janela...

Bjs.

terça-feira, setembro 02, 2008  
Blogger JúliaML said...

foram bons colégios, sim, o meu pai fazia questão, mas para dizer a verdade, esse foi o que menos gostei. São freiras muito conservadoras...Gostei mais de outra Ordem que não sei agora qual o nome...

quarta-feira, setembro 03, 2008  
Blogger C.M. said...

Até me ri com essa das freiras conservadoras... Ó Júlia, V. é mesmo engraçada...a sério! Mas eu compreendo-a, claro.

quarta-feira, setembro 03, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home