Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Corpus Christi - Presença Eterna.


Hoje a Igreja celebrou a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo – o comummente chamado “Corpo de Deus”.

De facto, solenidade antiga, já advém do Concílio de Trento, que determinou que em determinado dia do ano fosse celebrado este sacramento.

Na cidade de Lisboa, na qual (ainda) se pode celebrar nas ruas esta festa católica (em Espanha, sob a batuta de Zapatero, tal já não é possível…), recordemos que a mesma já foi proibida, bem como em todo o País de resto, sob os “auspícios” da 1ª república ateia e maçónica, apesar da solenidade ser muito antiga e pertencer ao património cultural e religioso de todo um povo. Provavelmente festa ainda anterior às muito conhecidas procissões de Santo António e da Senhora da Saúde.

É caso, pois, para nós, Católicos, participarmos em peso, para demonstrar, aos inimigos de Deus, a nossa força, a nossa vontade, o nosso querer inquebrantável de podermos rever-nos num País que seja verdadeiramente nosso, que tenha sentido aos nossos olhos e que não seja refém de interesses inconfessáveis.

Por mim, estive presente, com os meus irmãos franciscanos, percorrendo as ruas desta Baixa Lisboeta que tanto amo, e vendo a mesma sob um outro prisma: o Tempo suspenso, assistindo à passagem, uma vez mais, do nosso Jesus…

Como afirmou Josemaría Escrivá de Balaguer, no seu “Cristo que passa”, “A procissão do Corpo de Deus torna Cristo presente nas aldeias e cidades do mundo. Mas essa presença (…) não deve ser coisa de um dia, ruído que se ouve e se esquece. Essa passagem de Jesus lembra-nos que temos também de descobri-Lo nos nossos afazeres quotidianos”.


Vamos, pois, fazer Jesus presente no nosso quotidiano.... sempre!



4 Comments:

Blogger Cleopatra said...

"temos também de descobri-Lo nos nossos afazeres quotidianos" e no rosto dos que se cruzam todos os dias connosco...

sexta-feira, junho 08, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

pois é verdade, Cleo... mas não é tarefa fácil não.... há por aí tanto antagonismo...

sexta-feira, junho 08, 2007  
Blogger ferreira said...

«Lisboa...pode celebrar nas ruas esta festa católica (em Espanha, sob a batuta de Zapatero, tal já não é possível…)», desconhecia, tinha (tenho) a ideia de uma Espanha católica.
Por aqui festeja-se a Comunhão Solene, neste dia.

sexta-feira, junho 08, 2007  
Blogger Cabral-Mendes said...

A Espanha é católica, tal como Portugal é a Nação Fidelíssima... Contudo, o poder político alheia-se da História dos Povos e das suas raízes culturais e religiosas...

sexta-feira, junho 08, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home