Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

sábado, 23 de junho de 2007

O Guerreiro de Deus.



Nesta noite de Sexta-Feira desloquei-me ao Centro Comercial das Amoreiras (de resto, o único que merece ser visitado - o mais distinto, o mais tranquilo). Fui com o propósito de ver o filme que aí está há cerca de uma semana: "Santo António - Guerreiro de Deus".

No século XII, uma cidade é usurpada pelos usurários: Pádua.

Ali vivem aqueles que detêm as rédeas de todo o poder: económico, político, judicial. E, também, os... outros...

Um simples e radical franciscano - António – ali se instala, clamando contra os poderosos da época (hoje aí estão eles, com outras roupagens, mas com o mesmo coração), e a sua impiedosa usura, que leva à ruína não só aqueles que já são pobres, mas também muitos que vivem com certo desafogo económico e que, de uma maneira ou de outra, acabaram por cair nas malhas dos agiotas. A História repete-se... ontem como hoje…

O filme retrata muito bem a Idade Média, com todo aquele forte misticismo, as cidades fechadas intra-muros, as Igrejas de pedra, onde no seu interior escuro e sombrio se agitam as emoções... E a vida extremamente violenta...
Registos fortes existem ao longo de todo o filme. Como a passagem, daquele que viria a ser Santo, da Morte corporal para a Vida Eterna!
Digo, com Santo António, às forças que hoje aí estão em nosso redor:
Ecce Crucem Domini!
Fugite partes adversae!
Vicit Leo de tribu Juda,
Radix David! Alleluia!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home