Dies Domini

Sartre escolheu o absurdo, o nada e eu escolhi o Mistério - Jean Guitton

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Reino Portugal Padroeira: Nª Srª Conceição, Portugal

Monárquico e Católico. intransigente defensor do papel interventor do Estado na sociedade. Adversário dos anticlericais saudosos da I República, e de "alternativos" defensores de teses “fracturantes”. Considera que é tempo, nesta terra de Santa Maria, de quebrar as amarras do ateísmo do positivismo e do cientismo substitutivo da Religião. Monárquico, pois não aliena a ninguém as suas convicções. Aliás, Portugal construiu a sua extraordinária História à sombra da Monarquia. Admira, sem complexos, a obra de fomento do Estado Novo. Lamenta a perda do Império, tal como ocorreu.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

O Céu na Terra...



Ontem, dia 5 de Dezembro, o Céu desceu à Terra, nesta cidade de Lisboa, ali a Belém, pois que no Centro Cultural de Belém (CCB) deu-se a apresentação, em concerto, da Grande Missa em C Menor (KV 427) de Mozart, dirigida pelo maestro Harry Christophers, para além da obra “Crucifixus” de António Caldara e ainda de excertos de obras de Christoph Wilhibald Gluck.

A Missa inacabada de Mozart foi interpretada pela “The Simphony of Harmony & Invention”, criada por Harry Christophers, sendo considerada como uma das mais carismáticas formações actuais, cujo repertório assenta na música e ópera barrocas. Ao lado do “ensemble” vocal "The Sixteen" (também criado por Christophers), as duas formações garantem a excelência na interpretação da obra de Mozart.

O programa foi apresentado no dia em que se assinalou a morte do génio musical Wolfgang Amadeus Mozart, em Viena de Áustria, em 1791.

As sopranos Gillian Keith e Lucy Crowe, com especial destaque para a primeira, deram-nos a nota dramática necessária à compreensão do amor de Deus pelo Homem, Sua criação, ao ponto de se ter feito um de nós (excepto no pecado) na Pessoa de Jesus Cristo.

Como o Homem é capaz de obras tão sublimes como esta composição mozartiana! O drama é haver excepções…
Nas fotos: The Sixteen e a (insuperável) soprano Gillian Keith.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home